Projetos de Pesquisa em Andamento

 

Avaliação do impacto do cultivo de mangueira irrigada nas características físicas e químicas do solo na região do Vale do Submédio São Francisco
O presente trabalho visa avaliar o impacto do cultivo de mangueira nas propriedades físicas e químicas do solo em relação à Caatinga na região do Vale do Submédio São Francisco. A área escolhida para o estudo está localizada no município de Petrolina-PE. O presente trabalho será composto por três tratamentos (mangueira irrigada-linha, mangueira irrigada-entrelinhas e Caatinga nativa), dispostos em faixas, com dez repetições (10 pontos georeferenciados). Nas áreas sob mangueira irrigada e Caatinga serão coletadas amostras de solo nas camadas 0-10 e 10-20 cm de profundidade. A partir das amostras de TFSA de cada profundidade serão realizadas as análises físicas do solo, dentre elas textura, densidade do solo e de partículas, porosidade total, argila dispersa em água e grau de floculação. Quanto às análises químicas, serão determinados os valores de pH (H2O), acidez potencial e trocável, condutividade elétrica, teores de fósforo, potássio, cálcio, magnésio, sódio, cobre, ferro, zinco e manganês. Também serão determinados os teores de carbono orgânico total e fracionamento físico da MOS para obtenção da matéria orgânica leve e pesada, e o fracionamento das substâncias húmicas.
Parceiros: CNPq / Herculano Agrícola

Desordem fisiológica e produtividade de mangueira Palmer associada à nutrição de boro: triagem e manejo de adubação boratada
Os tratamentos consistiram de sete diferentes manejos de adubação T1 = Duas fertirrigações com 50g/planta de H3BO3 (adubação do produtor); T2 = T1 + cinco pulverizações com H3BO3 [duas primeiras (0,3%) e demais (0,2%)]; T3 = T1 + cinco pulverizações com H3BO3 [duas primeiras (0,3%) e demais (0,4%)]; T4 = T1 + cinco pulverizações com H3BO3 [duas primeiras (0,3%) e demais (0,6%)]; T5 = T1 + duas pulverizações com H3BO3 (0,3%) + três fertirrigações (10g H3BO3); T6 = T1 + duas pulverizações com H3BO3 (0,3%) + três fertirrigações (20g H3BO3); T7 = T1 + duas pulverizações com H3BO3 (0,3%) + três fertirrigações (40g H3BO3). Os resultados demostram que há evidências de que a deficiência de boro pode provocar a emissão de frutos acometidos por desordem fisiológica e que o manejo da adubação borratada é eficiente na redução desse problema e, ainda, influencia a produtividade (ton/ha) de manga Palmer com qualidade, destacando-se que o T2 atingiu produtividade média de 35,62 ton/ha, embora mais estudos sejam necessários para recomendação de um sistema de manejo adequado para a cultura.
Parceiros: Herculano Agrícola

Sistematização de poda e raleio de frutos para produção de romã no Vale do São Francisco
O projeto está sendo desenvolvido em parceria com a empresa Seridan Agrícola localizada no município de Casa Nova-BA com o objetivo de estabeler produção uniforme e concentrada da romanzeira através da sistematização de poda e raleio de frutos. Nesse sentido o experimento foi instalado em delineamento experimental 3 x 4, correspondendtes a poda ([estemunha (sem poda), poda leve (corte de 15 cm a partir do ápice dos ramos principais) e poda drástica (corte de 30 cm a partir do ápice dos ramos principais)] e raleio de frutos [testemunha (sem raleio) e plantas mantidas com 30, 40 e 50 frutos].
Parceiros: Seridan Agrícola

Fertirrigação com esterco bovino líquido fermentado no cultivo da goiabeira no Vale do São Francisco
O projeto tem por objetivo de avaliar a contribuição da fertirrigação com esterco bovino líquido fermentado associado à adubação nitrogenada no estabelecimento, crescimento, nutrição, concentração interna de CO2, condutância estomática, taxa transpiratória, fotossíntese líquida, qualidade físico-quimica de frutos e produção da goiabeira cv. Paluma, cultivada no Vale do São Francisco. Também será avaliada a combinação dos níveis de fertilizante bovino líquido fermentado com 50 e 100% da recomendação de adubação nitrogenada via fertirrigação e suas implicações no solo, planta e frutos da goiabeira. O experimento será instalado em esquema fatorial 5 x 2, correspondentes à: i) níveis percentuais do esterco líquido de bovino simples: testemunha (sem biofertilizante) 2,5; 5,0; 7,5 e 10,0% de biofertilizante aplicado via fertirrigação, mantendo-se fixa a referência de 2,4 L m-2 do biofertilizante comum, e aplicado quinzenalmente, inciando-se após o transplantio até a primeira colheita, a partir de quando as fertirrigações serão semanais após cada poda de produção até o início da respectiva colheita. Espera-se com a execução do projeto definir uma forma de manejo de biofertilizante bovino associado à adubação nitrogenada via fertirrigação, no estabelecimento e produção da goiabeira no Vale do São Francisco.
Parceiros: CNPq

Fertirrigação potássica na cultura da pereira, cultivar “Princesinha”, no Vale do São Francisco
A pereira (Pyrus communis) é uma frutífera temperada cuja fruta é bastante apreciada e a área plantada no Brasil ainda é pequena, embora o consumo por habitante seja elevado. Nesse sentido, o presente projeto tem por objetivo avaliar os efeitos da adubação potássica aplicadas via fertirrigação na cultura da pereira, cultivar “Princesinha”, no Vale do São Francisco, considerando aspectos de produção, produtividade e qualidade de frutos através da massa de frutos (g); produtividade (t ha-1); produtividade acumulada de duas safras consecutivas (t ha-1); número de frutos por planta; Diâmetro longitudinal e transversal (mm); Cor da epiderme, designados de “cor de fundo” e “cor de superfície”; sólidos solúveis (SS, ºBrix); Acidez titulável (AT, g de ácido málico/100 mL); ratio SS/AT; firmeza de polpa, (kgf cm2), além de estado nutricional e exportação de K com a colheita. Espera-se, com o presente projeto Subsidiar o desenvolvimento de um sistema de produção de pera no Vale do São Francisco.
Parceiros: Embrapa Semiárido / CNPq / FACEPE

Avaliação de genótipos de maracujazeiro amarelo irrigado com águas salinas e fertirrigado com biofertilizante bovino
O projeto tem a finalidade de introduzir materiais biológicos de maracujzeiro amarelo de alta capacidade produtiva e compparar os rendimentos e a qualidade dos frutos com os de um genótipo local mais produtivo da região produtora da passicultura de Cuité e Nova Floresta no estado da Paraíba. Os genótipos BRS Gigante Amarelo, BRS Ouro Vermelho e BRS Solo do Cerrado serão submetidos a irrigação com águas salinas de uso para produção do maracujazeiro local. Também serão avaliados quando ao comportamento vegetativo e produtivo sob fertirrigação com biofertilizante bovino, ou esterco líquido fermentado de bovino.
Parceiros: CNPq / UFPB

Avaliação de fontes e doses de potássio na produtividade de mangueira palmer e salinidade do solo na região de Casa Nova-BA
O presente estudo tem por objetivo avaliar o efeito de fontes e doses de potássio na produtividade de mangueira Palmer e salinidade do solo na região de Casa Nova-BA. O estudo será realizado em um pomar comercial de mangueira pertencente à Fazenda Baixãozinho, localizado na região de Casa Nova-BA. O delineamento experimental será em parcelas subdivididas (5x2), sendo cinco doses de potássio (K2O, 50, 75, 100, 125 e150% da dose recomendada) e duas fontes de potássio (KCl e K2SO4) com quatro repetições, perfazendo dez tratamentos dispostos em faixas. Cada parcela experimental será composta por cinco plantas, sendo utilizadas como parcela útil as duas plantas centrais. Assim, após coleta e preparo das amostras, serão determinados no solo os valores de pH; condutividade elétrica no extrato de saturação (CE); acidez potencial (H+Al), acidez trocável (Al3+); teores de fósforo (P); potássio (K); cálcio (Ca); magnésio (Mg); sódio (Na); cobre (Cu); ferro (Fe); zinco (Zn) e manganês (Mn). Para análise de produção serão avaliados: número de frutos por planta; peso médio de frutos e produtividade. Além disso, será determinado a firmeza de polpa; diâmetro transversal e longitudinal do fruto; pH; sólidos solúveis totais; vitamina C e acidez total titulável.
Parceiros: CAPES / Herculano Agrícola

Fertirrigação com substâncias húmicas no cultivo do maracujazeiro amarelo no Vale do São Francisco
O Vale do São Francisco é o principal polo brasileiro de fruticultura irrigada, uma atividade vetor de desenvolvimento regional e principal responsável pela prosperidade econômica e responsabilidade social, especialmente nos municípios de Petrolina-PE e Juazeiro-BA. O objetivo deste projeto é avaliar a contribuição da fertirrigação com substâncias húmicas associadas à adubação nitrogenada, na fertilidade do solo, crescimento, nutrição e produção do maracujazeiro amarelo cultivado no Vale do São Francisco.
Parceiros: CAPES / Ministério da Ciência e Tecnologia / Elton frutas